Martinho da Castanha


(11/11/2023) Por esta altura devíamos estar no verão.

Perante esta afirmação, muitos de vocês já estarão a pensar, “… o velho está a passar-se”, mas não, pois por esta altura as temperaturas costumam subir durante uns dias.

Ainda a semana passada aqui falava das alterações climáticas, mas neste caso trata-se da lenda de Martinho de Tours, um soldado romano que partilhou o seu manto com um mendigo na véspera de um dia chuvoso. Diz-se que, como recompensa, o tempo melhorou e o sol brilhou, proporcionando um período de calor durante o início do inverno, o tal Verão de São Martinho que se refere a um período de tempo ameno e ensolarado que ocorre durante o outono, tipicamente em meados de novembro.

São Martinho nasceu na Hungria por volta do ano 316, depois de receber o batismo e renunciar à milícia, fundou um mosteiro em França onde seguiu a vida monástica, morrendo em 397.

Daqui a pouco já vou perceber se a juventude está atenta ao dia que se celebra hoje, sendo que não vai demorar muito pois o portátil já está a entusiasmar-se.

“Bom dia Tio”.

“Bom dia jovens estudantes”. Tudo bem convosco?”.

“Estamos bem, é fim de semana”, respondeu o ALÉU com um sorriso.

“São os dias em que o hóquei em patins está em grande”, realçou a RODINHAS.

“Totalmente de acordo, apesar de eu não…”.

“Já sabemos, já sabemos, para o Tio os 365 dias são sempre de trabalho”, gozou o OLHA.

“Vês como tu sabes”, ri-me eu. “E para o ano são 366, porque temos um ano bissexto. Vamos ao fora da caixa de hoje, alguém sabe que dia se celebra hoje?”.

“Eu sei!”, gritou o ALÉU. “Faz 105 anos que foi assinado o acordo de paz entre os Aliados e a Alemanha, colocado oficialmente ponto final à Primeira Guerra Mundial, conhecido com o Dia do Armistício”.

Bolas, desta é que eu não estava à espera.

“Não fazia a mínima ideia”, afirmou o OLHA. “Para mim hoje é dia de São Martinho”.

“Também ia dizer isso, mas o ALÉU é um miúdo muito inteligente”, elogiou a RODINHAS.

“Por acaso até sou”, brincou ele, “Mas esta manhã ouvi falar neste acontecimento na televisão e vinha com a ideia fresquinha, senão também tinha referido o dia das castanhas”.

“Pois é assim que este dia é conhecido. Segundo consta São Martinho era muito generoso, pelo que as festividades deste dia envolviam a partilha de castanhas assadas e o vinho novo com os mais necessitados que se reuniam à volta da fogueira. Quem é que não gosta de uma bela castanha assada?”.

“Eu gosto muito, lá por casa o meu Pai costuma ter uma água-pé para acompanhar”, explicou o ALÉU.

“Na minha casa também comemos figos e nozes neste dia, sendo que a minha Mãe gosta de cozer umas castanhas com erva-doce”, afirmou o OLHA.

“Eu gosto disso tudo”, confirmou a RODINHAS. “Por cá fazemos também, ao almoço, um bacalhau assado na brasa”.

“Que vai ser hoje?”.

“Exatamente, o meu Pai já está a tratar do lume”, confirmou ela.

“Já estou a ficar com fome”, afirmei eu. “Antes que vocês me perguntem, por aqui hoje a refeição vai ser um cozido de grão com carne de porco, vindo diretamente do Camponês”.

“Cozido de grão? É o quê?”, perguntou o ALÉU.

“Trata-se de um cozido à portuguesa, sem arroz, frango e feijão, mas com grão”.

“Tem enchidos?”, questionou o OLHA.

“Claro, chouriço de carne, farinheira e morcela. Bem deixemos a gastronomia em repouso e vamos à escala para esta semana. Eu vou ficar com a pré-eliminatória da Taça de Portugal, a que vamos chamar Taçona, sendo que eu acompanho a Zona Sul e o ALEU olha pela Norte, a RODINHAS vai espreitar a Segundona, enquanto que o OLHA fica com a Feminona e a Liga dos Campeões feminina. Estão de acordo?”.

“Quer dizer que este fim de semana não há Terceirona?”, questionou o OLHA.

“Quase todas as equipas estão envolvidas na Taça, pelo que só se vão realizar duas ou três partidas. Já que falas nisso, deixa-me aqui referir que o Lavra, da série A, que jogou na 3ª feira passada quando estávamos aqui reunidos, sofreu a primeira derrota no campeonato, mas continua na 2ª posição e com menos um jogo”.

“Tio, tivemos dois jogos da Primeirona na quinta-feira, não queres falar sobre eles?”, questionou a RODINHAS.

“E que jogos, uma surpresa com 22 anos, mas não vamos tirar trabalho ao AMAGADINHO. Vamos aproveitar bem estes dois dias de descanso e até terça-feira”.

“Adeus Tio, não trabalhes muito”, brincaram eles, enquanto saltavam do monitor.

Rapaziada com grande energia, mas agora está quase na hora de atacar o cozido.

Para quem fala da longevidade de futebolistas como Pepe ou Óscar Cardozo, no FORA DO RINQUE desta semana temos um hoquista que se ri deles.

Nome Completo: Carlos Alberto Tavares Couto

Clube atual: Hóquei Clube Paço de Rei

Alcunha (se tiver): 33/Chinoca

Idade: 41 anos

Local de Nascimento: Pedroso/Vila Nova de Gaia

Clube estrangeiro futebol: Barcelona

Jogador português futebol: Cristiano Ronaldo

Jogador estrangeiro futebol: Messi

Jogador de outra modalidade, português ou estrangeiro: Miguel Oliveira (MotoGP)

Prato: Rojões com Arroz de Sarrabulho

Sobremesa: Pudim

Bebida: Cerveja

Filme: Vários

Ator: Al Pacino

Atriz: Nenhuma em particular

Série televisiva: Drive to Survive

Livro: Vários

Cidade portuguesa: Porto

Cidade estrangeira: Budapeste

Animais de estimação: Cão

Jogo de computador/consola: Iracing

Hobbies: Simuladores de corridas

Outra modalidade desportiva, se não fosse o hóquei: Algo ligado aos desportos motorizados

Aquele momento ou jogo, de hóquei, que nunca vais esquecer: O 1º jogo como sénior pelo CH Carvalhos, clube onde iniciei a prática do hóquei em patins.

(13/11/2023) Não sei se já falei aqui deste tema, mas detesto o dia de segunda-feira, ou melhor dizendo, detestava quando trabalhava por conta de outrem.

Nos dias de hoje só me lembro que estamos no primeiro dia da semana, porque tenho que falar com o AMAGADINHO.

Ele está quase a chegar, sempre um novo desafio, pois os jovens são mesmo assim, irreverentes e sedentes de protagonismo.

“Boa noite Tio”.

“Boa noite, tudo bem contigo?”.

“Está tudo bem. Vou começar com uma pergunta para si”.

Bolas, ainda agora começou.

“Venha ela”.

“Sabe as dimensões interiores de uma baliza de hóquei em patins?”.

Estava à espera de todas as perguntas… menos desta!

“Não faço a mínima ideia”.

“Eu avisei que ia trazer perguntas mais difíceis”, riu-se ele. “Um metro e setenta de largura e um metro e cinco centímetros de altura”.

“Pensei que era mais alta. Agora que já me apanhaste, vamos lá à Primeirona”.

“Vamos a isso. A principal nota é que já não há nenhuma equipa só com vitórias, o que acho bem, pois ter alguém que só ganha, mesmo sendo de Tomar, parece-me um aborrecimento, sendo que os nabantinos perderam dois pontos em casa contra os especialistas em empates, os minhotos de Braga”.

“Foi uma surpresa!”.

“Se calhar estavam cansados da Champions, talvez a mesma justificação para a derrota do FC Porto, que não perdia há 22 anos com a Oliveirense em casa”.

“Cinco a zero não dava prolongamento, segundo as tuas regras”, brinquei eu.

“Mas não marcar nenhum golo no Dragão, devia ir para o Guiness”.

“Concordo. Os azuis-e-brancos poucas vezes perdem em casa, mas sem marcar, não sei há quanto tempo isso não acontecia”.

“Mas depois empatou em casa, com os três da frente empatadinhos em quase tudo, mais golo, menos golo. Vamos olhar para a minha meia-dúzia, com o Carvalhos no 1º lugar (3 pontos), que esta semana complicou a vida a um dos líderes, na 2ª posição está o Riba d’Ave (5), seguidos dos Turquel (8), HC Braga (9), Valongo (9) e Murches (11)”.

“E ALMOFADA esta semana?”.

“Temos, pelo que já percebi, mas uma repetição. Duas semanas depois o Guilherme Gui Duro leva mais uma para casa, ele que sofreu dois golos na mão cheia do FC Porto em Turquel.

“Mais alguma coisa?”.

“Só mais uma pergunta”.

Já cá faltava!

“Quarenta três é o número de golos marcado pela equipa mais concretizadora, sendo que há uma formação que tem o mesmo número de golos sofridos. Consegues acertar nas duas?”.

“Bolas, essa é difícil!”.

“Eu avisei a semana passada”, riu-se ele.

“Vou arriscar no OC Barcelos e Riba d’Ave”.

“Quase Tio! Bingo nos que acertam mais na baliza, mas quem também sofreu 43 golos foi o Murches”.

“Não andei longe”.

“E sem espreitares o hoqueipatins.pt. Para a semana estou de volta, abraço”.

“Até para a semana AMAGADINHO”.

Termino sempre esta conversa com a cabeça a doer-me. Será normal?

(14/11/2023) Já era um assunto conhecido no sábado, mas a conversa esteve mais entretida entre as castanhas e o vinho novo, não tendo sobrado tempo para falarmos na demissão do Governo.

Pouco mais de dois anos depois, lá vamos eleger um novo Parlamento, sendo a décima sétima vez, depois do 25 de abril de 1974, que o vamos fazer, com a curiosidade de ser um mês e pouco antes do 50º aniversário da Revolução dos Cravos.

Poucas vezes abordamos aqui temas políticos – e o futebol – mas eu sei que a juventude está atenta, ou não fossem eles três jovens com um nível cultural muito acima da média.

O portátil começou a dar sinal, para poucos segundos depois eles surgirem no ecrã.

“Boa noite Tio”.

“Muito boa noite pessoal, tudo em grande?”.

“Sim Tio, mas ficámos sem Governo, o que não é uma boa notícia”, afirmou o OLHA.

Caraças, esta miudagem adivinha-me os pensamentos.

“Pois foi, enquanto estava à vossa espera, pensei em trazer este assunto para o nosso fora da caixa. O que acham do que aconteceu?”.

“Nunca é boa altura, mas em 2022 aconteceu a mesma coisa, dessa vez por causa de terem chumbado o Orçamento de Estado, mas nós cá estamos a lutar pela nossa vidinha”, brincou a RODINHAS.

“Já que estamos a falar do Parlamento, sou só eu que acho que 230 deputados são muitos para as nossas necessidades?”, perguntou o ALÉU.

“Essa é uma discussão com muitos anos, mas sempre que o tema é aflorado, são os partidos mais pequenos que não concordam com uma redução, com receio de perderem representatividade”, esclareceu o OLHA.

“Mas vocês sabem que já foram mais?”.

“A sério? Não sabia, explica lá isso Tio”, pediu a RODINHAS.

“Em 1975, nas primeiras eleições legislativas foram eleitos 250 deputados. Um ano depois voltámos às urnas e escolhemos 263, o maior número de sempre, sendo que em 1979 regressámos aos 250, número que se manteve até outubro de 1991, altura em que se passou para o número atual”.

“Resumindo, o mais importante é irmos votar no dia 10 de março”, afirmou o ALÉU.

“Exatamente, não deixem que os outros decidam por vós”, reforcei eu.

“E atenção ao populismo, não acreditem em tudo o que ouvem, validem as afirmações”, reforçou o OLHA.

“Totalmente de acordo, mas agora está na hora de irmos ao trabalho. Como cavalheiros que somos, vamos dar a primazia à RODINHAS.

“Ah, muito obrigada”, riu-se ela. “Estive a olhar para a Segundona e vou começar pela Zona Sul onde três candidatos perderam fora de portas, no Estoril, Grândola e Murches, casa do Benfica B que continua a dividir a liderança com o Parede. Na Zona Norte o Espinho perdeu em Cambra, permitindo ao Póvoa ampliar para seis pontos a sua vantagem na frente da classificação, a única equipa das duas zonas só com vitórias”, terminou ela.

“A rapaziada da Póvoa de Varzim em grande. Agora com o OLHA vamos lá espreitar as competições femininas”.

“Não foi uma estreia promissora do Benfica na Liga dos Campeões. Já se sabe que jogar em Espanha nunca é fácil, mas as encarnadas perderam e não conseguiram marcar nenhum golo, coisa rara para as pupilas de Paulo Almeida. Na Feminona nada de novo, com Gulpilhares, Feira e Benfica, que esteve em tarefas europeias, a manterem a invencibilidade”.

“Está na hora de irmos à Taçona, para ouvirmos o ALÉU que esteve a observar a pré-eliminatória na Zona Norte”.

“Dez jogos, a malta da Terceirona a querer seguir em frente, com destaque para a eliminação do OH Sports no Marco e do Lavra em Marrazes, quatro equipas que vão lutar pela subida de divisão, com dois jogos resolvidos no tempo extra”.

“Na Zona Sul tivemos apenas um prolongamento, em Coruche, com os açorianos do Marítimo a serem a única formação insular a seguir em frente, um duelo alentejano que sorriu aos de Beja, e duas goleadas protagonizadas pela malta do Oeste”, conclui eu. “Mais uma semana terminada, está na hora de nos despedirmos”.

“Tio, posso só perguntar-te uma coisa”, questionou a RODINHAS.

“Diz”.

“Sofreste muito no domingo à noite?”, riu-se ela.

“Nem me digas nada, mas já sabes que aqui não se fala de futebol. Até sábado juventude”.

“Adeus Tio”.

Eles saíram rapidamente da minha vista e eu fui dormir.

Foi na Aldeia do Hóquei que fomos encontrar a SACADA desta semana, com dezoito golos. Todas as oito jogadoras da casa molharam a sopa, mas o destaque vai para a guarda-redes Cristina Quevedo (17) do Ginásio de Odivelas.

No arranque da Taça de Portugal tivemos belos duelos, nomeadamente na terra de Quim Barreiros, onde o líder da Terceirona, série A, teve de suar para dar a volta ao texto, concretizada com um penálti de Miguel Vieira (Limianos) que fica com O VELHO desta semana.

Outras Notícias
Ateus, Agnósticos e Bons Garfos
Ver Mais
A Sétima Arte dos Cotonetes
Ver Mais
Piquenique dos Idosos com Vento, mas sem Stress
Ver Mais
Quinhentos Anos e Cinco Oceanos
Ver Mais
Crianças Boas, Adultos Maus
Ver Mais
África, os Maus e Outro Golpe de Estado
Ver Mais