Golpe de Estado com Empadão e Protetor Solar


(11/05/2024) Numa altura em que faltam pouco menos de dois meses para terminar a temporada, algumas dúvidas pairam sobre o futuro destas Crónicas.

Em primeiro lugar porque são um chorrilho de palermices, depois porque o trio de jovens já está farto de me aturar, além de que as obrigações estudantis os impedem de darem o seu contributo como até agora.

Para já vou ter estes sessenta dias para pensar no que fazer, mas uma coisa é certa, para continuar vou precisar de recrutar uns miúdos e/ou miúdas para me fazerem companhia nesta amálgama de palermices semanais.

Fui olhar para o calendário, descobrindo que hoje é o Dia Europeu do Melanoma, data que surgiu em 1999, com Portugal a juntar-se a esta comemoração, também conhecida como Euromelanoma, no ano 2000, dia que visa alertar a população para os perigos da exposição solar excessiva e os malefícios que esta pode originar na pele, sendo a melanoma o tipo de cancro da pele mais grave, surgindo todos os anos mais de 10 mil novos casos no nosso país.

Refletindo sobre estes dados, dou por mim a recordar que oiço muitas vezes, tanto na rádio, como na televisão, sempre que as temperaturas estão um pouco mais altas, que está mesmo bom para ir para a praia.

Quem quiser ir, que vá, mas não se esqueça que se não tiver os cuidados indispensáveis, nomeadamente euros suficientes para adquirir um bom protetor solar, será bem melhor escolher uma boa e fresca sombra, do que se querer transformar em croquete queimado demais.

“Bom dia Tio”.

“Bom dia juventude, está tudo bem convosco?”. 

“Foi uma grande semana, foi só foi pena não termos tido tempo para ir à praia”, afirmou a RODINHAS.

O meu silêncio, de segundos, foi esclarecedor.

“Tio, eu sei que tu não gostas de praia, mas gosto de ir até à beira-mar, dar uns mergulhos, secar na toalha e regressar à água, sempre com o protetor solar como o meu principal companheiro”.

“Eu também não tenho paciência para estar esticado ao sol, mas estou contigo, uma boa caminhada, na areia, com os pés dentro de água cativa-me”, explicou o OLHA.

“Eu sou mais como o Tio, quando o calor aperta gosto é de estar à sombra”, brincou o ALÉU.

“Temos que respeitar os gostos de cada um, mas se querem estar ao sol, têm que carregar no protetor, pois o cancro da pele é um dos mais graves no nosso país”.

“A malta esquece-se disso, principalmente os morenos, mas ninguém está mais ou menos protegido devido à cor da pele”, explicou a RODINHAS.

“Hoje, para vos surpreender, vou já desvendar o que vai ser o almoço por aqui, mas antes tomem já nota nas vossas agendas, pois no último fim de semana de junho estou a contar convosco em Oriola para encerrarmos a temporada e fazermos umas boas refeições”.

“Já anotámos”, gritaram os três em uníssono.

“Muito bem, já em relação a hoje vou estrear-me a fazer um empadão de carne, que eu costumo contribuir com o puré de batata, mas a Princesa hoje está ocupada e eu vou fazer tudo até chegar à mesa. Vamos colocar a gastronomia de parte e avancemos para o Plano de Festas, esta semana da responsabilidade do ALÉU”.

“Está tudo preparado, o Tio fica com a Liga dos Campeões que se realiza no Porto, só com equipas portuguesas, a RODINHAS vai espreitar o Cambra – Póvoa, da Segundona a norte, o OLHA vai acompanhar, a sul, a visita do Paço de Arcos a Alenquer, enquanto eu vou estar atento à Terceirona e ao Turquel – Benfica da Feminona. Todos de acordo?”.

“Posso pedir uma alteração?”.

“Então o que se passa Tio?”.

“É que o primeiro jogo da Liga dos Campeões é daqui a pouco, numa altura em que eu estarei de volta dos tachos”, ri-me eu.

“Ah, sem problema, então trocamos as nossas tarefas”, confirmou o ALÉU.

“Tio, vai lá tratar do almoço, que hoje tens muito trabalho”, riu-se a RODINHAS.

“Podes crer que sim. Beijos, abraços e até terça-feira”.

“Adeus Tio”.

Eles saíram rapidamente e eu fechei-me na cozinha.

Gosta de se encavalitar em paredes, tem um Pablo como eu e dizem que é um Patrão na baliza, por isso está esta semana no FORA DO RINQUE.  

Nome Completo: Rodrigo Abrantes dos Santos Patrão

Clube atual: Grupo Dramático e Sportivo de Cascais

Alcunha (se tiver): Patrão

Idade: 22 anos

Local de Nascimento: Lisboa (Benfica)

Clube estrangeiro futebol: Barcelona

Jogador português futebol: Ronaldo

Jogador estrangeiro futebol: Buffon

Jogador de outra modalidade, português ou estrangeiro: Ricardo Silva

Prato: Shoarma

Sobremesa: Bolo de Bolacha

Bebida: Água

Filme: Star Wars

Ator: Charlie Cox

Atriz: Kaya Scadelario

Série televisiva: Daredevil

Livro: O Diário de Uma Rosa

Cidade portuguesa: Lisboa

Cidade estrangeira: Paris

Animais de estimação (quais e nomes): Gatos (Lucky, Mocoto, Snow), cão (Pablo)

Jogo de computador/consola: Escape frim Tarkov

Hobbies: Escalada, airsoft, ginásio, mergulho. O hóquei é um hobby que levo bastante a sério

Outra modalidade desportiva, se não fosse o hóquei: Escalada

Aquele momento ou jogo, de hóquei, que nunca vais esquecer: A minha primeira defesa na seleção Inter-Zonas quando era sub-13.

(14/05/2024) Sempre que escavamos na história, nomeadamente na portuguesa, vamos encontrando acontecimentos que não me lembro de ter estudado na escola, talvez porque não interessava ao Estado Novo que se soubesse.

A 14 de Maio de 1915 – há cento e nove anos – tivemos um golpe de estado em Portugal, liderado por Álvaro de Castro e pelo general Sá Cardoso, que teve como objetivo derrubar o governo presidido pelo general Pimenta de Castro e a reposição da total vigência da Constituição Portuguesa de 1911, pois os revoltosos consideravam que esta constituição estava a ser desrespeitada pelo Presidente da República, Manuel de Arriaga, ao dissolver unilateralmente o Congresso da República, convocando eleições sem que, alegadamente, tivesse poderes constitucionais para tal ato.

O movimento foi vitorioso, levando à substituição do governo de Pimenta de Castro, por uma Junta revolucionária presidida por João Pinheiro Chagas, à frente de um governo onde pontificavam, entre outros, José de Castro e Barros Queirós, movimento que também promoveu a demissão do presidente Manuel de Arriaga, substituído pouco tempo depois, em eleições, por Teófilo Braga.

Esta revolta terá sido a mais violenta manifestação militar em Lisboa no século XX, tendo causado pelo menos 200 mortos e cerca de 1000 feridos, pondo fim a uma ditadura militar que se tinha implementado no início desse ano.

Mais um pedaço de história no dia em que Mark Zuckerberg, co-fundador do Facebook e um dos homens mais ricos do Mundo, faz 40 anos, na altura em que três janelas surgem no meu portátil.

“Boa noite Tio”.

“Boa noite juventude. Está tudo bem com vocês?”.

“Tudo em forma, mas desde sábado que estou em pulgas para saber como ficou o teu empadão?”, gozou a RODINHAS.

“Brincalhona, só pensas em comer! Ficas a saber que estava maravilhoso, mas eu só fiz o puré, pois a Princesa conseguiu arranjar tempo para tratar da carne e do resto da confeção”.

“Bolas, e eu a pensar que quando formos aí em junho fazias um para nós”, brincou o OLHA.

“Mas faço sim, em equipa ou a solo, está garantindo esse prato na ementa”.

“Por acaso eu até dispensava, mas depois de tanto elogio também quero provar”, confirmou o ALÉU.

“Não gostas de empadão?”, perguntei eu.

“Acho que nunca provei, mas não sou muito fã de puré de batata”, confessou ele.

“Provas e depois não queres outra coisa. Vamos lá ao nosso trabalhinho, e já que não gostas de puré começas tu”, brinquei eu.

“Não há problema, pode ser e vou já começar pelo jogo feminino na Aldeia do Hóquei, onde se encontravam as duas equipas que ainda não tinham perdido no Grupo 1 desta prova 2. Primeira parte irrepreensível das encarnadas, com três golos sem resposta, excelente reação do Turquel a reduzir para a diferença mínima, novo golo para as encarnadas, as da casa voltaram a um golo de desvantagem a oito minutos do fim, mas o Benfica carimbou a vitória perto do final da partida, mantendo a invencibilidade em provas nacionais”.

“Mais um grande jogo entre as principais candidatas ao título”.

“Sem dúvida! Já no pavilhão Rosa Mota não se podia afirmar que houvesse favoritos, pois as quatro equipas presentes atravessavam um excelente momento de forma, mas o primeiro jogo juntava leões e dragões, por muitos apelidada de uma final antecipada. As equipas fizeram jus à referência, um jogo com onze golos nos 50 minutos, melhor arranque do Sporting com dois golos, resposta igual do FC Porto com o intervalo a chegar empatado. A equipa lisboeta começou a segunda metade da mesma forma, os dragões reduziram, mas os leões conseguiram chegar aos três tentos de vantagem a dois minutos do fim, não baixaram os braços os portistas, dois golos de rajada, mas já não foram a tempo de levar o jogo para prolongamento. Na segunda meia-final o equilíbrio foi ainda maior, um golo para cada lado nos primeiros minutos – primeiro da Oliveirense – sendo que a parte final da primeira parte foi igual ao início, com mais um festejo para cada lado, a segunda metade não fugiu à regra, com a diferença de que desta vez foi só um golo para cada lado, com o prolongamento a ficar em branco, para variar. Fomos para os penáltis, logo na tentativa inicial o OC Barcelos marcou, ficando na frente pela primeira vez no jogo, ao segundo do lado contrário tivemos o jogo de novo empatado, com o vencedor a surgir, só dez grandes penalidades depois, após ninguém ter marcado, sendo o capitão da Oliveirense a explicar como se faz. Menos de 24 horas depois deste jogo ter terminado, tivemos a final, uma partida parca em golos, primeiro marcou o Sporting, no único golo obtido nos primeiros 25 minutos, com dez minutos da segunda metade empataram os oliveirenses, mas se de livre direto se marca, dos sete metros e quarenta se sofre, os leões voltaram à frente apenas três minutos depois e fechou a loja dos golos na final, com os pupilos de Alejandro Domínguez – que vai sair no final da época – a conseguirem o quarto título na prova”, concluiu o ALÉU.

“Bolas, até já te faltava o ar”, brinquei eu. “Agora é a vez da RODINHAS”.

“Vamos lá a isto, o jogo em Vale de Cambra era muito importante para as duas equipas, por motivos diferentes, os da casa na luta pela permanência, os forasteiros a querem estar na liguilha de promoção, a emoção prevista não falhou, tudo muito empatado até aos últimos dois minutos, quando o Bolinhas meteu a bola duas vezes na baliza do Cambra”.

“Belo trocadilho”, afirmámos todos, com direito a uma sonora gargalhada.

“Desculpem, mas não consegui fugir a este. A luta pelo 2º lugar está separada por um ponto, a duas jornadas do fim, com a vantagem mínima a sorrir à malta de Viana do Castelo, e uma disputa a três para dois lugares de descida”, finalizou ela.

“Vou continuar na Segundona, eu que estive na Vila Presépio”, começou o OLHA. “Jogo muito importante para a rapaziada do Casablanca, um verdadeiro jogo de tu cá, tu lá, mais tempo os alenquerenses na frente do resultado, mas o Paço de Arcos resgatou um ponto na parte final do jogo, mantendo-se na luta pela liguilha, com mais um ponto que os vizinhos da Parede, igualdade que deu a oportunidade ao Candelária de festejar no sofá o regresso à Primeirona, sete anos depois…”.

“Deixa-me interromper-te, pois acho que também tive uma participação importante nesta subida”.

“Mas como!?”, entreolharam-se os três.

“Sigam o meu raciocínio. Desde que os picoenses desceram de divisão, fui sempre fazer a narração do Alenquer na Madalena, menos este ano que eles subiram”.

“Já percebemos, o pé-frio eras tu”, riram-se muito os três.

“Espero que eles não leiam isto, senão nunca mais entro no Pavilhão dos Desportos da Candelária”, brinquei eu. “Já terminaste?”.

“Falta-me acrescentar que, à semelhança da zona norte, também três equipas lutam para fugir a dois lugares de descida”.

“Então só falto eu, que esta semana tenho a Terceirona a meu cargo, muito por culpa do empadão. Arrumadas que estão as contas de subida na série D, na A, Os Limianos já garantiram a promoção, com o Lavra, que tem mais três pontos que o Penafiel, mas estão ambos na luta pela liguilha, na série B a contabilidade também está fechada, a festa já foi feita em Oliveira do Hospital, com o Leiria e Marrazes a discutir a fase de promoção, já na série C ainda não houve direito a foguetes, com o Alcobacense a um ponto da subida, enquanto que Sporting de Torres e Alenquer B estão na disputa pelo 2º lugar, com vantagem para os leões. A reunião já vai longa, vamos descansar que no sábado estamos cá de novo”.

“Adeus Tio”, despediram-se os três.

“Grande abraço”, devolvi eu.

Olhei para o relógio, a conversa hoje durou até quarta-feira.

Uma excelente para altura para ir dormir.

Corria a temporada de 1976/77 quando o Sporting conseguiu a primeira Taça dos Campeões Europeus, quarenta sete anos depois ela já mudou de nome, tudo se resolve num só jogo, há livres diretos e um obtido por João Souto vai ficar na história do quarto troféu conseguido pelos leões e o Senhor Doutor fica com O VELHO desta semana.

Outras Notícias
Trocadilho Para Inglês Ler em Silêncio
Ver Mais
Amor Num Elevador à Volta do Mundo
Ver Mais
Quatro Rodas de Livros e Vinil
Ver Mais
A Voz do Beijo
Ver Mais
Dieta ao Lado do Nabão
Ver Mais
Tomar, Pai e Descanso
Ver Mais