Até já…


Notava-se no ar um sentimento de despedida.

Depois de uma temporada de trabalho, a primeira com eles, hoje era o encerramento de uma época.

Confesso que eles me surpreenderam, por vezes demasiado irreverentes, mas sempre com um grande empenho naquilo que nos propusemos fazer.

Hoje a nossa conferência vai ser à distância, uma forma de lhes roubar o mínimo tempo possível, importante para quem tem que preparar exames, depois de terminado o ano escolar.

Liguei o portátil e esperei um pouco.

Segundos depois três caras sorridentes surgiram no ecrã.

“Bom dia Tio”, gritaram eles.

“Bom dia juventude”, respondi. Como vão esses estudos?”.

“Bons, mas uma chatice”, brincou a RODINHAS. “Que olheiras são essas Tio?”.

“Nota-se muito? Ontem fui ver a Princesa a Portel na Marcha de Oriola, já chegámos tarde a casa, sendo que ainda me entretive a ouvir o José Cid no Rock in Rio”.

“Pois é, o Tio já não tem idade para essas brincadeiras”, riu-se o OLHA. “Por falar nesse festival, gostava de lá ir um dia”.

“Ia dizer o mesmo”, afirmou o ALÉU.

“Vamos já combinar uma coisa. Na próxima vez que esse festival estiver em Portugal vamos os quatro ver, pago os eu as entradas”.

“Espetáculo!”, berraram os três. “Podemos escolher o dia em que queremos ir?”, quis saber a RODINHAS.

“Calma, a ideia era irmos todos no mesmo dia. Mas como ainda não sabemos datas, nem elenco, quando lá chegarmos combinamos a estratégia”.

“Então e a festa que o Tio prometeu a semana passada?”, questionou o ALÉU.

“À distância é mais complicado. Como vou regressar à Nazaré nos dois próximos fins de semana, pensei aqui numa solução para poderem festejar o encerramento deste primeiro ano de colaboração com as Crónicas. Falei com o Pedro Jorge Cabral, ele concordou e vocês vão passar um fim de semana a São Miguel, nos Açores, quando estiverem definitivamente de férias”.

“A sério!?”, perguntaram os três, com os olhos esbugalhados à espera da confirmação.

“Claro que é a sério. Vocês merecem. Mas, atenção, há uma linha vermelha”.

“Bolas, o que vem aí?”, lamentou o OLHA.

“Nada de muito complicado. Boas notas nos exames, com a margem inferior nos 14 valores”.

“Acho bem, até vou estudar com mais gosto”, confirmou a RODINHAS.  

“Tudo explicado, mais logo vamos fazer o encerramento deste espaço, com cada um de nós a fazer um pequeno resumo desta época, apesar de ela ainda não ter terminado, pelo que vamos ter de ser criativos”.

“Até logo Tio”, despediram-se eles, enquanto as janelinhas do aplicativo se encerraram em simultâneo.

No último GPS desta série vamos até ao distrito de Coimbra para falarmos do Futebol Clube Oliveira do Hospital, coletividade fundada em 1938.

A cidade de Oliveira do Hospital pertence ao concelho com o mesmo nome, que nos últimos dez anos perdeu 6,9% da sua população, que nesta altura ultrapassa os 19400 habitantes.

Se partir do Porto tem pela frente pouco mais de duas horas de alcatrão, mas se sair de Lisboa vai demorar mais uma hora.

Quando lá chegar pode perceber onde fica a Quinta da Fontanheira, na Lageosa, para degustar uma refeição no Restaurante O Gouveia.

Como tinha prometido e depois de já ter negociado com o PALPITE DO TIO, no início da próxima temporada, quando regressarem as Crónicas, temos um novo espaço em estreia.

Vai chamar-se FORA DO BANCO e não digo mais nada.

Com o corpo a pedir cama, liguei o portátil e fiquei à espera.

Enquanto eles não chegavam à virtualidade da internet, fiz um balanço mental destes meses de Crónicas.

Acho que a melhor decisão foi pedir o auxílio dos miúdos, sendo que o reforço da RODINHAS foi muito importante.  

Agora é tempo de ir descansar, preparar a próxima temporada, para que este seja sempre um espaço que atraia a vontade de alguém o ler.

Fechei os olhos por uns segundos, acho que cheguei a sonhar que ninguém criticava os árbitros, quando eles chegaram em simultâneo.

“Boa noite Tio”.

Um pulo na cadeira, um esfregar de olhos e a resposta.

“Bolas, não precisam de testar o meu coração desta maneira. Querem dar cabo do Tio?”.

“Nada disso, mas pareceu-me que estavas a dormir”, explicou o ALÉU, entre dois grandes sorrisos.

“Por acaso passei pelas brasas, mas muito ligeiramente. Vamos lá ao nosso trabalho. Começa o OLHA nesta visão da temporada 2021/22”.

“Vamos lá a isto. A mim calhou-me o lado feminino da Força. Desculpem lá a piada, mas adoro os filmes da saga Star Wars. Acho que há equipas que deviam ser mais democráticas. O Benfica ganhou o nono campeonato consecutivo, podendo ainda chegar à dobradinha, sendo que a final da taça de Portugal vai decorrer no próximo fim de semana no Seixal”.

“Verdade mesmo! Agora chega a vez da RODINHAS”.

“Desta vez foi por sorteio e calhou-me a 3ª divisão. Quatro séries, muita emoção, com a vantagem de aqui ninguém descer. Recordo que os que festejaram a subida foram as equipas B do Valongo e Sporting, Escola Livre, Entroncamento e Leiria e Marrazes, sendo que o Paredes foi o último, já hoje a festejar o ingresso na 2ª divisão. Para terminar, tivemos festa a dobrar no Entroncamento, com a formação local a conquistar o título nacional da terceirona!”.

“Gostei dessa alcunha. Antes de eu falar da 1ª divisão, deixem-me dar os parabéns ao Gulpilhares que venceu o Nacional de sub-23. OLHA vamos ao teu trabalho”.

“Ora bem, aproveitando aqui a dica da RODINHAS, a segundona foi forte em emoções. Temos um regresso, a Norte, à primeira e uma estreia a Sul, coroada com o título Nacional, respetivamente Famalicense e Murches. A luta pela terceira cadeira – num play-off – foi renhida, mas devolveu o Riba d’Ave ao primeiro escalão”.

“Muito bem! Eu estou à beira do abismo, ou seja, só na quarta-feira se vai conhecer o campeão da 1ª divisão. Depois de dois jogos sem os forasteiros conseguirem marcar, chegaram 15 no Dragão, o primeiro vermelho na Luz e tudo adiado para o dia 29, para percebermos quem vai às duas dúzias de títulos. Na minha opinião, quem vencer, ganha bem, apesar de eu não concordar com o play-off”.

“Então porquê Tio?”, perguntou o OLHA.

“Porque eu acho que um campeão deve sê-lo pela sua regularidade ao longo de uma época, não pela inspiração ou desinspiração num jogo. Esta é a minha opinião, mas compreendo que o aspeto televisivo/financeiro tem um peso decisivo. Juventude, está na hora da despedida. Bons exames, boas férias e regressamos no final do verão”.

“Muito obrigado Tio. Cá estaremos para outra temporada das Crónicas”, afirmaram os três, enquanto desapareciam rapidamente do ecrã.

No FORA DO RINQUE deste domingo temos um jovem que subiu de divisão e sagrou-se campeão nacional esta temporada, mais um dos atletas que se cruzaram comigo nos Inter-Regiões.

Nome Completo: Paolo Francesco de Brito Dias

Clube atual: GRF Murches

Alcunha (se tiver): Paulinho

Idade: 21 anos

Local de Nascimento: Cascais

Clube estrangeiro futebol: Inter de Milão

Jogador português futebol: Bernardo Silva

Jogador estrangeiro futebol: Lionel Messi

Jogador de outra modalidade, português ou estrangeiro: Pau Bargalló

Prato: Lasanha

Sobremesa: Baba de camelo

Bebida: Coca-Cola

Filme: O Lobo de Wall Street

Ator: Leonardo DiCaprio

Atriz: Margot Robbie

Série televisiva: The Flash

Livro: Elon Musk de Ashlee Vance

Cidade portuguesa: Lisboa

Cidade estrangeira: Paris

Animais de estimação: Cão

Jogo de computador/consola: FIFA

Hobbies: Ver séries/filmes

Outra modalidade desportiva, se não fosse o hóquei: Futebol

Aquele momento ou jogo, de hóquei, que nunca vais esquecer: Murches – Famalicense, final do Campeonato Nacional da 2ª Divisão.

O último prémio da época vai para o Pai deste local.

Acredito que quando arrancou com este projeto, não imaginava a dimensão que ele ia alcançar.

Este foi um ano de mudança, alterações radicais para transformar e melhorar a acessibilidade e interação com o site.

Todas as mudanças têm as suas dores de crescimento, apenas é preciso um pouco de paciência do lado de lá.

O VELHO, antes de férias, vai para o Mestre.

Pedro Jorge Cabral merece-o inteiramente.

Outras Notícias
Aos tombos
Ver Mais
Oriola dois anos
Ver Mais
Inadmissível!
Ver Mais
Bué de monitores
Ver Mais
Timor para sempre
Ver Mais
Aveiro à segunda
Ver Mais