Muitas rodas sem patins


“Eu sei que vocês já estão cansados, mas hoje tem que ser assim”, comecei eu.

“Mas onde vai o Tio amanhã de manhã?”, quis saber o ALÉU.

“Vou fazer de speaker numa prova de BTT, perto de Oriola, em Monte do Trigo”.

“Isso é o quê?”, perguntou a RODINHAS.

“Trata-se de uma prova de bicicletas de todo o terreno, em trilhos na serra de Portel. Depois a minha tarefa é ser uma espécie de apresentador do que está a acontecer, culminando no final das várias provas e dos vários escalões, com a identificação de todos os que vão receber os prémios”.

“Parece interessante”, constatou o OLHA. “Já fizeste isso alguma vez?”.

“Neste tipo de provas é a primeira vez. Aliás, como speaker é a segunda experiência, depois de ter feito em 2019 a Volta ao Concelho de Almodôvar, uma prova de ciclismo em estrada”.

“Gostas de fazer isso?”, questionou o ALÉU.

“Ainda bem que perguntas isso, porque nem é das coisas que me dão mais prazer, até porque o BTT não é daquelas modalidades em que estou muito à vontade, eu sou mais futebol e hóquei em patins. Mas o meu amigo António Teixeira Correia, um grande compadre alentejano e, na minha opinião, o melhor speaker português, lá me vai enganando para fazer estas coisas”.

“Não ficas nervoso quando tens que falar em público? Eu não gosto nada”, afirmou a RODINHAS.

“Fico sempre um bocadinho até começar a debitar a informação. Mas depois de ganhar o ritmo tudo segue bem até ao fim. Umas das coisas fundamentais é fazermos, como eu costumo dizer, o trabalho de casa. Documentarmo-nos bem e procurar saber todos os pormenores sobre a prova que vamos acompanhar. Vocês gostam de ciclismo?”.

“Gostamos sim”, responderam os três em uníssono.

“Bem, o dia já vai longo. Como eu depois do BTT vou fazer a narração do Oriolenses, fico dispensado do nosso trabalho, sendo que cada um de vocês escolhe um jogo e fala dele, como é habitual ao domingo. Até amanhã”.

“Bom trabalho para amanhã com as bikes”, desejaram os três enquanto corriam para a saída.

Se colocar Aldeia do Hóquei no GPS, vai receber esta resposta: Turquel.

Esta é a sede do Hóquei Clube local, situada numa freguesia do concelho de Alcobaça que nos últimos dez anos perdeu 2,7% da sua população, contabilizando no final de 2021 pouco mais de 4400 habitantes.

Se sair de Lisboa, percorrendo a A1 e N1, chega ao pavilhão local em hora e meia, já sabendo que a casa está quase sempre cheia.

Quando quiser tomar uma refeição lá por perto, sugiro o Pátio do Leitão, a cinco minutos de Turquel.

Vamos ao rescaldo do PALPITE DO TIO de ontem.

Apostei na vitória (8-4) do Sporting que venceu 6-3, sendo que em relação aos marcadores acertei no Ferran Font – que marcou três – enquanto que do lado do Paço de Arcos fui certeiro no Diogo Alves e Pedro Vaz.

Não foi mau.

No PALPITE DO TIO para esta semana vamos até Viana do Castelo para o Juventude – OC Barcelos, um duelo minhoto onde vamos ter uma vitória forasteira por 3-6.

Vamos ter golos de Rémi Herman e Bekas para os da casa, enquanto do outro lado vão faturar Darío Giménez, Miguel Rocha e Luís Querido.

No sábado faço as contas.

Quando cheguei à sala já lá estavam os três.

“Tio que cara é essa?”, perguntou preocupada a RODINHAS.

“Já sei, o Oriolenses perdeu de novo”, brincou o OLHA.

“Foste atropelado por uma bicicleta”, gozou o ALÉU.

“Boa tarde juventude. Vou já responder às vossas questões. Primeiro estou muito cansado, segundo a rapaziada do Oriola perdeu sim senhor, e por último não houve nenhum atropelamento, apenas uma manhã que terminou mais tarde do que o previsto, mas penso que correu bem.”

“Vamos lá então despachar isto para ires descansar” começou o OLHA.

“Antes de falar do jogo que me calhou hoje, deixa-me falar de um empate insólito na 1ª divisão. Ontem, enquanto fazíamos a nossa reunião extraordinária, Parede e Marinhense empataram a zero, um resultado invulgar no hóquei, o primeiro nulo esta época”.

“Tens toda a razão, até parece difícil, mas de certeza que tivemos dois muros nas balizas”, acrescentei eu.

“Hoje estive com atenção ao que passou na Luz, onde o Benfica, que não vencia há dois jogos, recebeu o Turquel que arrancava para o jogo com a lanterna vermelha na mão. Não houve surpresa, quatro golos, dois em cada metade e a rapaziada da Aldeia do Hóquei com a vida complicada”.

“Agora sou eu, que estive muito atenta ao jogo entre os dois primeiros da Zona A da 3ª divisão”, começou por explicar a RODINHAS. “Foi uma partida emocionante, onde o Paredes esteve a vencer no 1º minuto, sofreu o empate a meio da primeira parte, os bês do Valongo passaram para a frente muito perto do intervalo. O jogo ainda esteve empatado a quatro na segunda metade, mas o líder nunca mais largou a frente da partida, dando um passo importante para a subida direta”.

“Agora para terminar, vamos ouvir a história que o ALÉU tem para nos contar”.

“Era uma vez…”, brincou ele. “Escolhi uma partida de sub-19, um jogo realizado em Tomar, porque gosto do nome do pavilhão, daquele senhor francês. Agora mais a sério, foi um bom jogo, controlado pelos nabantinos quem têm um cinco inicial com jogadores muito experientes que já estiveram no Inter-Regiões por diferentes seleções”.

“Muito obrigado pela vossa paciência, pois hoje estou derreado. Até para a semana onde já o abril nos vai receber”.

“Até sábado Tio”, despediram-se eles.

No FORA DO RINQUE de hoje vamos ter mais um atleta que tem a ingrata tarefa de evitar os golos e gosta de umas jolas como o Malandro.

Nome Completo: Miguel Sebastião de Freitas Parreira

Clube atual: CACO

Alcunha (se tiver): Não tenho

Idade: 19 anos

Local de Nascimento: Almada

Clube estrangeiro futebol: Chelsea

Jogador português futebol: Rafa

Jogador estrangeiro futebol: Foden

Jogador de outra modalidade, português ou estrangeiro: Pedro Henriques

Prato: Arroz de pato

Sobremesa: Tarte de natas

Bebida: Cerveja

Filme: Golo

Ator: Não tenho

Atriz: Não tenho

Série televisiva: The Good Doctor

Livro: Não tenho

Cidade portuguesa: Amora

Cidade estrangeira: Nantes

Animais de estimação: Cães

Jogo de computador/consola: FIFA

Hobbies: Ver filmes

Outra modalidade desportiva, se não fosse o hóquei: Futsal

Aquele momento ou jogo, de hóquei, que nunca vais esquecer: Defesa no último segundo.

Era um jogo fundamental na luta pela subida.

Vários jogadores foram muito importantes na vitória do Valongo “B”, mas o seu hat-trick ajudou de forma decisiva a sua equipa.

Para o Diogo Abreu vai O VELHO de hoje.

Outras Notícias
Aveiro à segunda
Ver Mais
20 Milhões
Ver Mais
Mãe Trabalhadora
Ver Mais
Diga trinta e três
Ver Mais
48 vs 48
Ver Mais
Cervantes vs Shakespeare
Ver Mais