O que falta jogar na Fase Regular da 1ª Divisão (2)


Na sequência do artigo publicado ontem, apresento-vos agora o panorama das restantes equipas (do 8º ao 14º lugar da tabela classificativa)…

Vejamos, então, o cenário de cada uma das 7 menos bem classificadas equipas deste campeonato…

Como podemos ver pela imagem abaixo, o Braga vai ter 5 confrontos com as equipas classificadas nos 5 primeiros lugares da tabela classificativa, o que não augura nada de bom para esta ponta final do campeonato. O Braga já demonstrou que pode ganhar aos “grandes” (venceu o Porto e empatou com o Sporting no Pavilhão das Goladas) e neste percurso final vai receber no seu pavilhão o Benfica, o Tomar e o Barcelos, para além de Sanjoanense e Marinhense, ou seja, 5 jogos “em casa” e 3 “fora”. Penso que o Braga poderá atingir, na pior das hipóteses (se a lógica imperar!!!) os 30 pontos mas o Paço de Arcos, candidato também ao Playoff, pode ser surpresa e chegar ao fim da fase regular com o “ouro” no bolso. O Braga teve um início de campeonato em que só venceu por 3 vezes em 9 jogos (perdeu 6) mas nas últimas jornadas a sua prestação melhorou significativamente, com 3 derrotas somente no mesmo número de jogos, para além das 4 vitórias e 2 empates. A equipa bracarense é a única que tem média quase exata de 1 golo marcado por cada sofrido.

O Paço de Arcos, por sua vez, a 2 pontos somente do Braga mas com 1 jogo a mais (o Braga é que tem 1 a menos, claro) poderá ficar ainda mais longe dos bracarenses, caso aqueles vençam o tal jogo, mas o mais animador é o calendário: o PA vai defrontar Sporting, Benfica e Valongo fora de portas mas vai receber no seu reduto 3 equipas que estão posicionadas abaixo na tabela classificativa, a saber, Marinhense (13º), Parede (12º) e Juventude de Viana (10º), se bem que neste momento o posicionamento das equipas vale de muito pouco, já que são todas muito equilibradas e a luta pela manutenção dá “asas” aos patins, que habitualmente só rolam. O Paço de Arcos passou por um período pior no início do campeonato (tinha 1 ponto à 5ª Jornada) e passa de novo agora por uma fase em que cedeu 3 derrotas e 1 empate, mas as derrotas foram com Porto, Tomar e Barcelos, candidatos a outras andanças.

A Juventude de Viana “arrebitou” nas últimas 2 jornadas e nem se pode argumentar com o valor do adversário, porque a vitória na jornada anterior foi nada mais nada menos do que em Oliveira de Azeméis frente a um candidato ao título nacional, pelo que depreendo que possivelmente a mensagem de métodos do “Rei” Ventura possam finalmente estar a fazer efeito e a equipa estar mais sólida e preparada para a reta final. Não me parece que ainda chegue a tempo de participar no “Playoff” (atingir o 8º lugar pertença do Braga) mas realisticamente Ventura tem é de se preocupar com a manutenção e deixar para segundas “núpcias” a paixão pela fase a eliminar do campeonato. A Juventude teve um período muito mau durante o qual ganhou somente 1 vez e empatou outra em 14 jogos (mais do que uma volta deste campeonato) mas os seus apaniguados esperam que a forma atual seja para manter e, desta forma, afastar-se mais dos lugares de descida de divisão. O Reinado de Ventura começou formalmente à 13ª Jornada e se atentarmos aos resultados verificamos que vem em clara melhoria dadas as derrotas com Sporting (2-10), Parede (7-1), Benfica (5-1), Sanjoanense (0-1) e Valongo (1-3) e mais recentemente o empate com o Braga (1-1) e a vitória sobre a Oliveirense (4-3), tendência que confirma a constatação que expressei acima acerca do efeito do trabalho de Reinaldo Ventura. O Problema maior é que se aproximam jogos muito difíceis (Tomar, Porto e Barcelos) mas logo depois vêm também 3 jogos mas com índice de dificuldade menor.

A Sanjoanense conta recentemente com a “explosão” de Hugo Santos mas a valia da equipa e a série de bons resultados conseguidos ultimamente dão alento a Vítor Pereira para continuar a luta pelo playoff (quem sabe?) e consequente afastamento da zona de despromoção. A ADS nos últimos 7 jogos perdeu com Porto, Barcelos e Valongo e venceu jogos importantes, não só por serem do “seu” campeonato mas também porque cada ponto ganho é 1 a menos no pecúlio dos seus adversários diretos. O percurso da Sanjoanense até final inclui 6 candidatos ao Playoff, o que não dá descanso ao meu amigo Vítor que está neste momento a pensar como vai descalçar esta bota: Braga, Paço de Arcos (em casa) Oliveirense, Sporting, Tomar e Porto (em casa) num ciclo que inclui ainda o Parede e 5 jogos destes jogos em pavilhões adversários!

O Parede tem-se posicionado entre os 10º e 12º lugares nestas últimas 10 jornadas (da 10ª à 19ª) e até final tem de defrontar Barcelos, Sporting e Benfica, para além do Paço de Arcos (que tem mais 8 pontos) mas os jogos com Turquel (fora), Marinhense e Sanjoanense são para discutir de igual para igual, se atentarmos à valia dos planteis da 1ª Divisão. O Parede de Pedro Gonçalves passou por 4 períodos “negros”, durante os quais averbou 4 derrotas em casa um, e a preocupação principal do seu treinador (e de toda a comunidade paredense) é manter a equipa no escalão máximo do hóquei português, pelo que esta ponta final será (a exemplo de todos os outros clubes, claro!!) determinante e sem direito a falhas, pelo que se exige concentração máxima e… golos. O Parede sofre em média 2 golos por cada golo marcado mas este “score” tem obrigatoriamente de ser melhorado se se querem atingir os objetivos desejados.

O Marinhense começou mal o campeonato com 4 derrotas consecutivas mas o “Manel” Domingues não esperava que depois da bonança chegasse de novo uma tempestade tremenda durante a qual a sua equipa não venceu qualquer jogo (num total de 9) e empatou somente 1 (em casa com o Parede), prestação nada motivadora nem acumuladora de pontos, pelo que, realisticamente, os próximos jogos que irá disputar com Turquel, Paço de Arcos, Parede, Juventude, Valongo e Braga são 6 oportunidades de somar pontos, tão necessários a quem ocupa uma das 3 últimas posições da tabela classificativa. O Marinhense é a equipa que mais golos sofreu neste campeonato (95) e a 12ª a marcar (53), só Turquel (48) e Juventude de Viana (49) marcaram menos.

E termino com o Turquel. Com é possível que uma equipa que vence por 5-2 o Barcelos esteja em último lugar? É possível, sim, porque cada jogo é um jogo e a verdade é que o Turquel perdeu 13 vezes neste campeonato mas tem ainda 2 jogos em atraso relativamente à maioria dos seus adversários. O Turquel tem pela frente uma tarefa dificílima porque, primeiro, terá de fazer 9 jogos quando quase todos os seus adversários irão fazer 7 no mesmo espaço de tempo e depois porque tem programado jogos com Tomar, Sporting, Benfica, Valongo e Oliveirense, para além dos outros com adversários menos cotados, como Marinhense (fora de casa) e Parede, Juventude de Viana e Braga, na vila do hóquei. O Turquel pode ainda atingir o objetivo máximo de sair da zona de despromoção (se vencer os tais 2 jogos em atraso, Tomar em casa e Marinhense fora) mas ser o portador da Lanterna Vermelha é um peso muito grande e assim como lanterna que vai à frente alumia 2 vezes, a que vai atrás…

Todos os dados do campeonato estão disponíveis clicando no logótipo abaixo:

Outras Notícias
Porto, Sporting e Barcelos carimbam o passaporte para a Semi-Final. Benfica e Valongo vão decidir no 3º jogo
Ver Mais
As fotos da Jornada 2 do Playoff
Ver Mais
Porto, Sporting, Benfica e Barcelos ganham vantagem nos Quartos de Final do Playoff da 1ª Divisão
Ver Mais
PLAYOFF da 1ª Divisão arranca hoje...
Ver Mais
Sporting vence Benfica e confirma no mínimo o 2º lugar
Ver Mais
Barcelos-Oliveirense e Sporting-Benfica podem definir posições finais para o Playoff
Ver Mais