Lágrimas diferentes


Os três chegaram cedo à sala, ainda eu não estava lá.

“Não podemos adiantar trabalho?”, perguntou A RODINHAS.

“Mas o quê? Temos que mostrar o nosso trabalho ao Tio”, argumentou O ALÉU.

“Talvez pudéssemos fazer um vídeo e depois ele via quando chegasse”, sugeriu O OLHA.

“Excelente ideia”, confirmou O ALÉU. “Eu não me importo de filmar e vocês os dois falam dos jogos que aconteceram durante a semana”.

“Vamos a isso”, gritou entusiasmada A RODINHAS. “Vou falar do jogo da Taça de Portugal que aconteceu ontem à noite. Os Corujas criaram grandes problemas ao Oeiras, que só no prolongamento conseguiu fazer cair o jogo para a sua equipa, a primeira apurada para os oitavos de final”.

“Foram três os jogos da 1ª divisão durante a semana”, começou O OLHA. “No João Rocha uma goleada natural, com Toni Pérez a marcar quatro golos, na terra do vidro tivemos uma igualdade, com o destaque para Gonçalo Domingues e João Alves Joka que empataram o jogo a três, sendo que em São João da Madeira tivemos surpresa. O lanterna vermelha quase que enganava os encarnados, esteve na frente parte e meia do jogo, sofreu a reviravolta, mas a quatro segundos do fim conseguiu o seu primeiro empate na prova, golo obtido por Hugo Santos recentemente regressado à equipa e que já vestiu a camisola do Benfica”.

“Bom dia rapaziada. O que estavam a fazer?”, perguntei eu, ainda ofegante.

Eles explicaram-me a ideia que tinham tido, vimos o vídeo e continuámos.

“Fizeram bem, excelente trabalho. Desculpem lá o atraso, mas fui levar a dose de reforço da vacina. Vamos lá distribuir o trabalho para hoje. A RODINHAS fica com o estrangeiro, O OLHA com a Taça e O ALÉU com o restantes jogos por cá. Até logo”.

“Bela ideia que tivemos”, gritavam os três enquanto corriam porta fora.

Com a ajuda do GPS hoje rumamos até ao distrito de Aveiro.

Vamos conhecer a Escola Livre de Azeméis, clube que está perto de atingir os 100 anos de idade.

Sediado na cidade de Oliveira de Azeméis, cujo concelho com o mesmo nome perdeu nos últimos dez anos 3,5% da sua população, tendo nesta altura pouco mais de 66000 habitantes.

Se pegar no seu carro em Lisboa chega lá em menos de três horas, mas se partir do Porto, 45 minutos depois está no local que tem um maior stique de hóquei em patins do Mundo.

Quando lhe der vontade de almoçar ou jantar pode ir até ao 115 da Rua António Luís Gomes onde fica o Restaurante Dom Filipe, podendo escolher entre várias especialidades, mas eu alinhava no bacalhau com broa.

No final do dia cheguei eu primeiro.

Como não tinha tido tempo para ver em direto, fui espreitar a gravação do jogo que a HPTV transmitiu hoje. Com os olhos colados no ecrã, nem dei por eles chegarem.

“Boa tarde Tio. O que aconteceu para estares tão comovido”.

“Quem é que está comovido”, tentei disfarçar eu.

“Anda por aí uma lágrima”, disse O OLHA.

“Pois foi. Estava a ver o jogo de hoje no pavilhão Sidónio Serpa e dei por mim a reviver aqueles dias que lá passei em 2016, no Torneio Inter-Regiões, quando conheci o Pedro Jorge e o Mário Duarte. Bem, deixemo-nos de lamechices e vamos ao trabalho. Primeiro avança A RODINHAS”.

“Começando por Espanha, na OK Liga só dá Barcelona, 15 partidas e outras tantas vitórias, em Itália o líder Trissino sofreu em Vercelli, mas continua imbatível ao fim de uma dúzia de jogos, enquanto que no território gaulês o Saint Omer também soma e segue, oito jogos, oito vitórias”.

“Muito bem miúda. Vamos lá ver o que O OLHA tem para nos contar”. “Na caça aos tomba-gigantes cheguei a Alenquer, onde o Benfica da Vila Presépio voltou a eliminar um primodivisionário, desta vez o HC Braga, tendo seguido depois para o Fernando Quintino onde o Feira mandou borda fora os homens da Casablanca, num jogo que chegou às grandes penalidades. Temos mais dois jogos da Taça que vão terminar quando o Tio já estiver a dormir”.

“Sim, tenho que me deitar cedo, mas amanhã falamos desses jogos no Pico e em Riba d’Ave. Agora é a vez d’O ALÉU”.

“Vamos lá ver, bolas, agora até parecia o António Costa”. Risada geral na sala e ele lá continuou. “Não há muito para contar, apenas que o Valongo venceu um jogo que estava em atraso, entrando na zona de play-off”.

“Muito bem meninos, agora vou ver A Máscara”.

“Também nós”, confirmaram os três, enquanto se acotovelavam para saírem da sala”.

A sua alcunha remete-nos para a banda desenhada, mas no FORA DO RINQUE de hoje vamos ter uma hoquista, também ela irreverente de aléu na mão.

Nome Completo: Ana Mafalda Ribeiro da Silva

Clube atual: Clube Hóquei dos Carvalhos

Alcunha (se tiver): Mafaldinha

Idade: 24 anos

Local de Nascimento: Porto

Clube estrangeiro futebol: Real Madrid

Jogador português futebol: Cristiano Ronaldo

Jogador estrangeiro futebol: Alex Telles

Jogador de outra modalidade, português ou estrangeiro: Hélder Nunes

Prato: Bacalhau com Natas

Sobremesa: Natas do Céu

Bebida: Coca-Cola

Filme: Velocidade Furiosa

Ator: Zac Efron

Atriz: Sandra Bullock

Série televisiva: Morangos com Açúcar

Livro: Não tenho

Cidade portuguesa: Porto

Cidade estrangeira: Roma

Animais de estimação: Gato

Jogo de computador/consola: FIFA

Hobbies: Hóquei, amigos, televisão, computador

Outra modalidade desportiva, se não fosse o hóquei: Futebol

Aquele momento ou jogo, de hóquei, que nunca vais esquecer: Final-four da Taça de Portugal.

Certamente que não acontecerá muitas vezes na vida de um hoquista.

No dia do aniversário fazer um poker, eliminando uma equipa da 1ª divisão da Taça de Portugal, antes de soprar as 31 velas do seu bolo.

Chama-se André Garção, joga no clube que o formou, o Sport Alenquer e Benfica e fica com O VELHO de hoje.

Outras Notícias
Bué de monitores
Ver Mais
Timor para sempre
Ver Mais
Aveiro à segunda
Ver Mais
20 Milhões
Ver Mais
Mãe Trabalhadora
Ver Mais
Diga trinta e três
Ver Mais